Hidráulica

Dicas para fazer instalação hidráulica residencial

janeiro 21, 2020
Tempo de leitura 6 min

Muitas vezes, ao fazer a instalação hidráulica residencial, as pessoas se esquecem do essencial: o planejamento. Afinal, ninguém quer quebrar as paredes o tempo todo para consertar vazamentos, certo? Por isso, é bom começar bem desde o início.

O trabalho do instalador hidráulico tem duas etapas. A primeira é fazer a instalação interna de tubos e conexões — aqui, o importante é saber qual modelo é o mais adequado para cada situação.

Depois, vêm os profissionais responsáveis pelo acabamento. Isso feito, o instalador retorna para colocar as louças sanitárias, as torneiras e concluir o serviço. Mas como iniciar a instalação? Leia o texto para saber mais!

Comece pela caixa d’água

Geralmente, a instalação da caixa d’água é feita somente após a colocação do telhado, no ponto mais alto da casa. Antes disso, é preciso montar um cavalete, facilmente encontrado em lojas de materiais de construção, com o kit já pronto, para a ligação do medidor de água da empresa distribuidora.

Isso feito, o instalador hidráulico deve realizar a ligação do cavalete até a caixa d’água. Um ponto importante é verificar se as tubulações estão instaladas nos locais certos e testar o funcionamento da boia com o registro e o ladrão.

Verifique a pressão da água

Essa deve ser a primeira preocupação do instalador hidráulico. Afinal, se a pressão da água da rua for muito baixa, encher a caixa d’água levará mais tempo e o desempenho do fluxo do chuveiro será comprometido. Também existirão problemas com aparelhos eletrodomésticos, que vão demorar muito para cumprir sua função, gastando ainda mais energia elétrica.

Por outro lado, se a pressão for alta demais, o instalador vai precisar escolher tubos mais largos e bem resistentes, assim como dedicar mais tempo ao ato de emendar e vedar.

Cuide da instalação hidráulica residencial

Tome cuidado quando for fazer a rede de tubulações de uma casa, afinal, ela é a parte mais importante da instalação hidráulica. Isso porque é o elemento que conduz a água para as torneiras, as descargas e afins.

Quando for escolher os tubos e as conexões, prefira usar os modelos de um mesmo fabricante na residência toda. Isso impedirá que problemas com garantia, trocas e encaixes ocorram. Além disso, para melhorar o desempenho hidráulico dentro dos tubos, evite caminhos longos demais ou ramais em excesso. Também tome cuidado ao escolher o material da tubulação.

A seguir, veja quais são tipos de tubulações mais comuns e que merecem a sua atenção.

PVC

Os tubos de PVC ou Policloreto de Vinila, como também são conhecidos, consistem em conexões para conduzir a água fria, ou seja, com temperatura de até 20ºC. É o produto mais utilizado nas instalações hidráulicas residenciais. Aqui, podemos citar dois tipos: o PVC Soldável e o PVC Roscável.

O Policloreto de Vinila, que utiliza solda, conta com algumas substâncias em sua estrutura, por exemplo, um material adesivado e uma mistura de limpeza. Dessa forma, é feita a junção das conexões e tubulações, encontradas na coloração amarronzada. No entanto, é importante usar uma lixa para fazer um polimento na ponta do tubo, bem como no interior do outro material até que desapareça o lustre comum nesse produto.

Depois, é necessário limpar bem a superfície com uma mistura própria e colar o tubo na conexão. Após isso, é feito um rosqueamento. Por fim, retira-se as partículas do adesivo.

No momento de realizar o rosqueamento, é utilizada também a famosa fita veda rosca, para a junção dos tubos com as conexões. Aqui, o principal cuidado é não utilizar essa fita em excesso, pois isso pode partir a conexão.

Policloreto de Vinila Clorado

O CPVC é formado por tubos e conexões muito resistentes. Sua indicação é para água fria e quente, pois o material aguenta temperaturas de 70ºC a 80ºC.

A instalação ocorre por meio de juntas soldáveis, com a utilização de adesivos, como acontece nas instalações de PVC. No entanto, é muito importante ressaltar que essa tubulação não deve ser lixada.

PPR

O PPR (Polipropileno Copolímero Random) é unido por termofusão a 260ºC. Nesse processo, o tubo e a conexão, quando aquecidos, formam uma tubulação única, o que evita vazamentos.

Por fim, destaca-se que o PPR é ideal para água quente (70ºC a 95ºC) e que não há necessidade de isolamento térmico.

PEX

O Polietileno Reticulado Monocamada é um sistema que funciona como uma mangueira. Trata-se de um módulo responsável por distribuir água fria e quente, com temperatura de 70ºC e picos de 95ºC. Ele conta com conexões metálicas do tipo deslizantes e é indicado para paredes em drywall.

Trata-se de um sistema totalmente diferente quando comparado a outros tubos, como o PVC, o CPVC e o PPR. Suas conexões são em número reduzido, pois a mangueira é maleável e permite uma certa curvatura de acordo com a necessidade.

Na verdade, o sistema PEX funciona mais ou menos da mesma maneira que uma instalação elétrica. Contudo, na última, a instalação é oriunda da rede pública. Já no PEX, a água vem até o módulo distribuidor e alimenta cada ponto individualmente.

Escolha bem as torneiras e as descargas que serão utilizadas

É muito importante escolher peças de boa qualidade, afinal, isso vai impactar diretamente a instalação hidráulica residencial. Assim, para ter certeza de que a funcionalidade das torneiras não será comprometida, observe a boa resistência à pressão, se elas fecham e abrem com facilidade e se têm um fluxo de água adequado — por exemplo, no banheiro e na cozinha, as torneiras terão fluxos e funções diferentes.

Quanto às descargas, as de caixa acoplada são as melhores opções para a economia de água, pois o líquido que será utilizado ficará reservado dentro da caixa. Aqui, existem duas opções de descarga: uma para dejetos sólidos e outra para os líquidos, o que auxilia ainda mais na economia de água.

Instale a rede de esgoto de forma correta

As caixas de limpeza ou de inspeção são instaladas na fase da ligação da rede de esgoto. Elas têm o objetivo de proporcionar a inspeção, os reparos e a desobstrução. Destaca-se que o sistema de esgoto tem seu escoamento realizado pela gravidade, por isso, os tubos instalados precisam ter um declive correto para o escoamento da água.

Como foi mostrado no texto, antes de fazer a instalação hidráulica residencial, é muito importante se planejar para não ter prejuízos graves no futuro. Outro ponto essencial é, assim que instalar a rede de tubos, colocar um registro em cada cômodo da casa. Isso evitará o impedimento do fluxo de água em toda a residência para consertar vazamentos ou efetuar manutenções.

E então, gostou deste texto? Se você deseja acompanhar outros conteúdos interessantes, aproveite o momento para nos seguir nas redes sociais. Estamos no Facebook, no Instagram e no YouTube!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up