Destaque

Como precificar serviços: confira 3 dicas para colocar em prática

junho 21, 2022

É comum que alguns profissionais tenham dúvidas quando começam a trabalhar de forma autônoma. Uma pergunta que muitos se fazem é: quanto cobrar por cada serviço prestado? Afinal, você precisa receber de forma justa pelo trabalho executado, não é mesmo? 

Na verdade, não importa o segmento no qual atue, cada serviço tem um valor de mercado. Por isso, a primeira coisa a fazer no caso de você ser um instalador hidráulico, por exemplo, é estabelecer um preço para cada instalação ou reparo que faça parte de seu trabalho. Precificar serviços e elaborar uma tabela facilitará bastante na hora de fornecer os orçamentos a seus clientes.

Vale ressaltar que a atuação como autônomo garante o direito de emitir nota fiscal, mas, para isso, é necessário que você opte por trabalhar como MEI (Microempreendedor Individual). Por um pequeno valor pago mensalmente, você garante uma série de direitos. Vale a pena se informar sobre essa possibilidade.

Neste post, vamos dar algumas dicas de como precificar serviços de forma justa. Confira!

1. Faça uma pesquisa de preços

O primeiro passo para garantir preços compatíveis com sua categoria de trabalho é conhecer os valores praticados no mercado. Assim, é possível obter parâmetros para elaborar uma tabela, com os preços baseados no que é cobrado por seu tipo de serviço.

No entanto, não é uma questão de cobrar os mesmos valores praticados pelos concorrentes. O objetivo é obter uma noção do que eles cobram, para, dessa forma, precificar seu serviço de acordo com os materiais utilizados, com a qualidade de seu trabalho e, principalmente, com a sua experiência — o que significa uma garantia a mais ao cliente.

É essencial ter em mente que o preço cobrado pelo serviço deve ser suficiente para proporcionar lucro ao trabalhador, mas não pode ir muito além do praticado no mercado a ponto de afugentar a clientela por precificar serviços demasiadamente altos.

2. Avalie os custos do serviço 

Ter conhecimento sobre os custos que envolvem uma prestação de serviço é, sobretudo, valorizar seu trabalho. Afinal, é seu meio de sobrevivência e sua profissão, seja você autônomo ou não. No entanto, preços amigáveis podem conquistar mais clientes e garantir mais lucro.

Entre os gastos que devem ser considerados na execução de seu serviço, podemos destacar:

  • custos com ferramentas ou materiais: valores gastos com a compra de produtos necessários à execução do serviço;
  • custos do trabalho: é o pagamento pelo serviço prestado;
  • despesas fixas: pode ser um aluguel de uma sala, um seguro etc.;
  • despesas variáveis: valores gastos com transporte que, dependendo da localização, podem variar bastante.

3. Escolha um modelo de precificação

Existem três formas de precificar serviços. O ideal, porém, é escolher a que melhor se encaixe em seu estilo de trabalho ou mesmo oferecer as três alternativas ao cliente, e, assim, ele poderá optar pelo mais conveniente. Veja quais são as possibilidades de precificação:

  • fixa: o cliente paga uma taxa fixa pelo serviço prestado, o que evita surpresas. No entanto, o prestador faz o cálculo do preço conforme o tempo que precisará para realizar determinado serviço;
  • por hora: tem por base o valor da hora trabalhada;
  • variáveis: talvez seja o melhor modelo, visto que pode variar de acordo com as características de cada trabalho. 

Como você pôde conferir neste artigo, o trabalhador autônomo tem algumas formas de precificar serviços segundo suas preferências, bem como a de seus clientes. Um bom diálogo pode tornar a relação prestador/cliente mais amigável e garantir tanto fidelização quanto uma boa divulgação de seu trabalho.

Gostou deste post? Assine, então, nossa newsletter e receba em sua caixa de entrada todas as nossas atualizações!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário